Você já sabe que muitos espermatozoides estão presentes no esperma, mas sabe qual é o número aproximado de células reprodutoras contidas em cada ejaculação? A resposta é alta: 200 milhões. Surpreso? Então conheça alguns outros fatos bastante interessantes sobre o assunto.

1 - Dieta

A quantidade e a qualidade do sêmen tem influência direta da alimentação que o homem possui. Para você ter uma ideia, comer peixes faz com que seus espermatozoides sejam muito mais saudáveis. A vitamina C, a vitamina E, o zinco e o ácido fólico também são responsáveis por produzir células mais ágeis e capazes de perfurar o óvulo com mais facilidade.

2 - Aparência

Como você imagina que seja um espermatozoide? Se você tem aquela imagem tradicional de uma cabeça oval e uma cauda, tipo um girino, saiba que essas células bonitinhas correspondem a apenas um terça do total. A grande maioria dos espermatozoides é bem desengonçada, com duas cabeças ou caudas curtas por exemplo.

3 - Ajudinha feminina

Que os espermatozoides são bons nadadores, todo mundo já sabe. Mas você faz ideia de como eles adivinham qual direção devem seguir? A progesterona, que é um hormônio feminino, se comunica com uma proteína chamada catsper, do espermatozoide como uma espécie de ímã. É como se o óvulo falasse: “Ei, estou ‘cá tis perando”. Pegaram, essa? Não? Mals aê.

4 - Descoberta

O espermatozoide foi descoberto em 1677 por um holandês chamado Antony van Leeuwenhoek. O cara vendia tecidos e era cientista nas horas vagas. Ele também construía microscópios e foi com ajuda de uma invenção própria que ele viu o que chamou de “animais minúsculos parecidos com enguias” em seu esperma.

5 - Outros animais

Agora você já sabe que seres humanos têm células reprodutoras bizarras e deformadas, mas, ainda assim, elas não são as mais estranhas do Reino Animal, já que outros bichinhos por aí têm espermatozoides ainda mais estranhos. Os espermas dos besouros, por exemplo, costumam nadar em pares ou grupos – que chegam a até mais de 100 células – em vez de fazer a jornada por conta própria.

O espermatozoide das toupeiras é superestranho também, sendo que a maioria deles nem sequer é capaz de nadar – apenas 0,1% das células reprodutoras das toupeiras é nadadora.

Adaptado de Live Science

0 comentários:

Postar um comentário

 
Top